Le Mans 6 Horas de São Paulo – Interlagos

A Corrida

O Campeonato Mundial de Endurance – FIA WEC, criado em 2012, em uma parceria com a Federação Internacional de Automobilismo e o ACO, Automobile Club de l’Ouest, trouxe de volta a tradição das provas de longa duração. Com o envolvimento de várias montadoras, as corridas se tornam o palco da mais alta tecnologia em modelos de diferentes categorias, sejam protótipos abertos e fechados, híbridos ou não, e carros de gran turismo, modelos muito parecidos com os encontrados nas ruas no dia a dia, porém adaptados para competição.

Estratégia de corrida

O principal tanto para a estratégia humana quanto para a técnica é saber qual piloto deve assumir o volante em cada ponto de suas capacidades e na evolução da corrida. Para os engenheiros, a necessidade é achar o momento decisivo para o reabastecimento e trocas de pneus, para obter o melhor resultado possível, e até mesmo a vitória geral ou da categoria.

Resistência ou corrida sprint?

Nos últimos anos, a corrida de resistência tornou-se cada vez mais rápida. Existem inúmeras razões: os carros tornaram-se mais sofisticados, e com a chegada de pilotos de monolugares a tornou muito rápida. Mas vamos lembrar que as 24 Horas de Le Mans foi originalmente chamada de “24 Hour Grand Prix of Endurance” A equação para resolver, entre velocidade e resistência, hoje ainda é relevante.

A aventura humana

Ter uma equipe de três pilotos para um carro, combinado com o comprimento das corridas, estabelece um verdadeiro espírito de aventura humana, compartilhado com os engenheiros e mecânicos. Isto é realmente específico para a corrida de resistência, e é o bom trabalho em equipe de todas essas pessoas que decidirá o sucesso ou a derrota.

 Panorâmicas

 

 Galeria 1 | 30 fotos

 

Galeria 2 | 30 fotos